Últimas Notícias

Post Top Ad

Your Ad Spot

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Diabéticos ficam sem insulina na Bahia após atraso do Ministério da Saúde

 Quarta, 01 de Setembro de 2021

por Jade Coelho

Diabéticos ficam sem insulina na Bahia após atraso do Ministério da Saúde
Foto: Ministério da Saúde

Setembro começou e os pacientes portadores de Diabetes mellitus e dependentes de insulina do tipo glulisina na Bahia não têm certeza e nem previsão de recebimento das canetas com o hormônio.

 

Acontece que, assim como outros medicamentos, as canetas de insulina são enviadas pelo Ministério da Saúde para o estado, e ainda não há uma sinalização por parte da pasta federal para o abastecimento do medicamento neste mês.

 

Em julho os estoques de insulina na Bahia chegaram a ficar zerados. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), que, na época, alertou sobre os constantes atrasos nas entregas do Ministério da Saúde (lembre aqui). Após a publicação da matéria, um lote de insulina chegou a Bahia, após o atraso na entrega da programação do 3° trimestre de 2021 (leia mais aqui).

 

A Sesab informou ao Bahia Notícias que em 19 de agosto chegaram 5.580 insulinas do tipo glulisina, completando um quantitativo para atender as pendências de julho e agosto. “Mas para o mês de setembro ainda nada nos foi enviado”, destacou a pasta estadual.

 

A secretaria ainda sinalizou que tem feito cobranças e enviado notificações ao Ministério da Saúde cobrando a regularização do fornecimento por meio de planejamento trimestral.

 

A questão dos atrasos nas entregas de fármacos não é exclusiva da insulina. Na semana passada aumentou para 22 o número de medicamentos com estoque zerado ou em iminência de falta para pacientes da Bahia por falta de distribuição do Ministério da Saúde (saiba mais aqui). Um mês antes, pacientes baianos com HIV/Aids, meningite e anemia falciforme estavam com seus respectivos tratamentos ameaçados e alguns já prejudicados por falta de estoque de alguns medicamentos no estado. Na época eram 18 os fármacos nesta situação (entenda melhor aqui).

 

O problema vem sendo vivenciado na Bahia desde o início do ano. Em janeiro a Sesab notificou o Ministério da Saúde e o Ministério Público Federal (MPF) sobre o desabastecimento e apontou a falha e a insuficiência na entrega de medicamentos que fazem parte do Componente Especializado e Estratégico da Assistência Farmacêutica (leia a reportagem aqui).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot